terça-feira, 20 de março de 2012

Vlog de A Casa de Ossos


Eddie Van Feu do www.alcateia.com
fala sobre A Casa de Ossos em um Vlog
super bacana, vale a pena conferir

Resenha de A Casa de Ossos

Uma carta de Kirian Lepárdy para a sua mãe, é assim que começa a ser contada história de Kirian. Um alemão, sócio de uma empresa milionária que desnvolveu os melhores softwares de segurança do mundo, e decide montar uma filial de sua empresa aqui no Brasil. Chegando aqui coisas estranhas começam a acontecer com o empresário, visões e coincidências o deixam um tanto desnorteado.

Continue lendo aqui: 

http://redequinha.blogspot.com/2012/03/casa-de-ossos-adriano-villa.html 


 

Resenha de Renata no Skoob
Como amante de filmes de terror,devo confessar que quando vi que o escritor era brasileiro me veio o seguinte pensamento:"Aposto que não será grande coisa o livro",e olha que eu tenho motivos de sobra para ter esse pensamento desdenhoso em relação aos escritores brasileiros.
Mais quando o livro chegou em minhas mãos eu achei o livro bastante interessante,pois dificilmente se vê tanto capricho num livro brasileiro,e ele é realmente de tirar o folego,comecei lendo a história de Kirian e achei engraçado o começo,sabe uma mulher estranha entregando um envelope gordo para a mãe dele,até aí tudo bem, se não fosse o fato de que a história te prende do começo até o final mesmo,não é como em alguns livros que começa leve a história e só no meio do livro ele começa ate dar alguma emoção...
Levei 2 noites para ler esse livro com certa pena de quando chegasse ao final,pois estava bom pra caramba e eu lógico não queria de jeito nenhum terminar aquela leitura espetacular,o final é mais surpreendente que o começo,é uma coisa que você nem imagina que poderia ter acontecido.Olha eu nunca que conseguia terminar de ler,sempre tinha algo que me dizia:"vai dormir depois de descobrir porque aconteceu tal coisa"e,quando eu descobria porque tinha acontecido tal fato,vinha outro muito melhor e eu nunca que fechava o livro,como é possível alguém ser tão bom tanto na história como nos diálogos?Achei o livro perfeito demais.Já virei fã do Adriano Villa.
Recomendo a todos esse livro. 

 

Resenha de Évelyn no Skoob

Resenha de A Casa de Ossos

Devo confessar que demorei a escrever a resenha deste livro, mas não foi por nada, mas simplesmente porque ao terminar o livro perdi totalmente as palavras, ai você me pergunta – “Mas como você perdeu as palavras, Elian?” – Sim! Tenho que confessar.
A casa de ossos como já havia dito no histórico baseia-se na estória com um fundo de religiosidade e a falta dela, mostrando a fé de uma pessoa e a falta de fé de outra cujo se trata do nosso personagem principal, mas não é aquelas de “mi-mi-mi” ou tentativa de conversão, me lembrou até ao Horror em Amityville (história baseada na cidade de Amityville na década de 70 que foi escrito por Jay Anson e lançado em 1977), mas deixo bem claro que só faz lembrar, principalmente quando mostra que as forças podem influenciar a sua vitima como uma simples marionete fazendo-a imaginar que é simplesmente um sonho, assim é a casa de ossos.
Neste livro o autor esbanja de ótima descrição dos detalhes, personagens, da casa e outros lugares, nos envolvendo totalmente no enredo da estória fazendo sentir o misto de calma, raiva e principalmente de medo, o terror que passa na estória fazem o medo do personagem passar para o leitor, onde também mostrou que, aqui se faz e aqui se paga, confesso que quando cheguei ao fim do livro teve uma determinada parte que pensei “Oh! Meu Deus! Será que era todo o tempo uma história? Mas é impossível, o autor está aqui, vivo! E continuei com uma dúvida... Foi história ou estória?” Esse é um dos “terrores” que passa, onde no livro tem uma situação parecida, mas com relação à dúvida do... Como é possível?
Parabenizo o autor pela ótima imaginação. E se vocês me contestarem dizendo- “Mas você não explicou no literal como é o livro” – Direi; Sim! De certa forma é claro, pois este é um livro que merece ser lido. E cada um tem seus medos.
Convido você a entrar na casa de ossos e ousar descobrir seus segredos ocultados por um passado vivenciando os pesadelos no presente. 



 

Resenha de Elian no Skoob

Resenha de A Casa de Ossos

Terror sem titubeios
IMPRESSOES:

A Casa de Ossos apresenta um terror objetivo, direto e sem titubeios. Em outras palavras, o suspense é dispensável. Desde o início a sensação de que você entrou em um mundo hostil se faz presente. As páginas amarelas do livro dão ainda maior impressão de clausura e ambientação sinistra. Sabe-se que uma vez lida a primeira página, não há volta para o leitor. Aquelas páginas te marcarão por um bom tempo.

A trama tem poucos momentos de tranquilidade e a leitura se torna tensa progressivamente, culminando com um final, que ao mesmo tempo que você quer largar o livro, não suportando a tensão, você quer continuar para saber o desfecho.
____________________________

FILOSOFIA:


A Casa de Ossos apresenta Kirian como protagonista. Um homem de negócios, com ótimas qualidades: ele é bom, gentil, educado e generoso. No entanto, ateu. E é aí o ponto em que que a trama gira em torno. O autor, Adriano Villa, entra em um questionamento antigo, muito debatido nos grandes concílios da igreja antiga: É justa a bondade sem a fé? Somos dignos de salvação se temos fé, mas não somos bons?

Uma outra questão igualmente importante permeia também a história. Baseado, provavelmente em Shakespeare, Adriano Villa nos pergunta: "Existem mais coisas entre o céu e a terra do que pode supor nossa vã filosofia?"
__________________________

PONTOS FORTES:

O terror sem censura e objetivo nos mostra rápido o que o livro vai ser até o fim da trama. É aquilo e aquilo mesmo. A presença do mal, o despeito pelas coisas sagradas, o ceticismo cego, a crueldade. Para quem gosta do gênero, a Casa de Ossos é um banquete.

PONTOS FRACOS:

A leitura se torna repetitiva em alguns pontos, deixando-a cansativa. Algumas conversas são confusas, principalmente quando se tem mais de 2 pessoas discutindo. 




Resenha de Luiz Paulo no Skoob
autor de maretenebrae

Resenha de A Casa de Ossos

Kirian Lepárdy o protagonista, tem uma vida “perfeitinha”. Bem sucedido, bonito, feliz em seu casamento e com dois filhos maravilhosos, muda-se para o Brasil, a fim de abrir uma filial de sua empresa. Será que foi mesmo esse o motivo que o fez escolher justamente o Brasil? Ele acredita que sim. Mas ao chegar, acontecimentos inexplicáveis começam a atormentá-lo. Principalmente quando ele, Kirian, olha as horas em seu relógio, e se depara com números iguais: 21:21 / 13:13, etc., neste momento, ele passa a receber uma visita inesperada e extremamente estranha. 

Por acreditar que tudo não passa de sua imaginação, Kirian não percebe que foi induzido a comprar justamente aquela casa no final da rua, onde estão armazenados mistérios atormentadores.

Estes são apenas o principio dos acontecimentos arrepiantes e horas sem desgrudar do livro, pois o autor, além de utilizar uma linguagem de fácil compreensão, nos conduz a momentos de total adrenalina, empregando uma mistura de terror psicológico com pitadas de ceticismo e crendices: maia, espírita, evangélica e católica. Porém, independente do que acreditam as personagens, elas não estão a salvo. 

Até quando Kirian irá acreditar que é tudo sua imaginação, fruto de muito cansaço?

Quer descobrir? Então leia o livro “A Casa de Ossos” e descubra não só esses, mas os muitos mistérios que se escondem atrás daquelas paredes 



 

Resenha de Bianca 
extraída do Skoob 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

TUDO TEM SUA HORA CERTA DE ACONTECER

Algumas pessoas acreditam que nada acontece por acaso, outras, que tudo é uma questão de lutar e conquistar. E eu, particularmente, acho que é um pouco das duas, pois, sem acreditar não há razões para seguirmos em frente, afinal de contas, se não sabermos o que queremos: pra que seguir adiante? Algumas pessoas preferem ter os pés no chão, não ficar sonhando com uma série de coisas, eu, mais uma vez particularmente, acho que os sonhos nada mais são do que pontos que precisamos alcançar em nossa caminhada, que se iniciou quando nascemos.
                Atente para “nossa caminhada” que quer dizer no contexto que estamos em movimento, seguindo adiante, pois sonhar e ficar parado... Sinto muito, mas com certeza eles ficarão apenas em seus pensamentos... É preciso seguir em frente e, por mais difícil que pareça, é preciso seguir em frente, por mais que lhe digam: Desista... Isso não vai dar certo... Você não leva jeito para a coisa... Continue, ainda mais se for algo nato, não se deixe abater por comentários negativos, pois, infelizmente, no mundo que vivemos, para nos derrubar encontramos muitos.
                É preciso encontrar o caminho certo naquilo que sabemos fazer melhor e exercê-lo com amor e sabedoria. Lembra-se sobre o que falei sobre algo nato? Para aqueles que não sabem o que isso quer dizer: é o dom que nasce conosco, nossas aptidões, enfim, continuando... A banda Mamonas Assassinas lutou durante muitos anos como Utopia, chegar a gravar um disco que não chegou a vender mil cópias, contudo, continuaram tocando, até que descobriram o caminho certo e, estando no caminho certo, tendo amor e sendo algo nato, não demorou muito para fazerem shows pelo Brasil inteiro todos os dias.
                Algumas bandas de Heavy Metal também demoraram um bom tempo para alcançarem algum sucesso. Muitas sobreviveram durante anos enfurnadas em suas garagens, compondo, fazendo covers e, o mais importante de todos: se aprimorando até chegar o momento certo, o tempo de colher os frutos dos primeiros passos que são extremamente importantes. Muitas pessoas querem nascer e sair correndo, se esquecem que é preciso engatinhar primeiro, depois, os primeiros passos, segurando-se em móveis, depois com a ajuda de alguém e mais pra frente, sozinho. É preciso saber respeitar nossas limitações, pois todos nós temos limites e todos nós estamos crescendo com o passar dos dias e com as situações que vivemos.
                A Casa de Ossos originalmente foi escrita no ano de 2002, mas só foi lançada em Setembro/11. Tentei lançá-la em anos anteriores, mas as editoras não demonstraram interesse, mesmo tendo dois cds lançados mundialmente (o projeto Hamlet e o House of Bones), mesmo meu nome sendo conhecido no Heavy Metal brasileiro. Era frustrante... Poderia ser pelo fato da história ser ruim? Sim, claro, como disse, sou um eterno aprendiz, contudo, preferi pensar que não era o momento dela vir ao mundo e, mesmo não alcançando meus desejos, continuei escrevendo. Mesmo sem esperanças de lançar, continuei. Pelo amor as palavras, por contar uma história, por descrever as cenas que passavam pelo meu cérebro que, sinceramente, às vezes acho perturbado.
                Continuei por que isso é algo que Deus me deu (desculpa se você não acredita, mas uma das coisas boas que tenho é o respeito sobre religiosidade das pessoas e, portanto, espero o mesmo), algo que fazia por prazer, por amor, que não visava ser um escritor famoso viajando pelo mundo em uma Ferrari ou em uma Harley Davidson com os cabelos ao vento. Para mim o carro tem que andar e não quebrar e moto, bem, minha mãe tem pavor e minha namorada não gosta e acho que ficaria mais seguro com quatro rodas no chão, com duas pernas já vivo tropeçando, imagina sobre duas rodas...
                Mas hoje meu livro foi lançado, acredito que seja é o momento certo, hoje, mais velho, mais consciente e mais maluco, tenho consciência de meus esforços e de toda persistência, sim meu caro amigo, é preciso persistir, seguir sempre em frente, não se esquecer que as barreiras existem para separar aqueles que querem chegar em algum lugar daqueles que simplesmente nadam a favor da correnteza. Claro, cometerei outros erros, mas não os mesmos que poderia cometer em minha adolescência. Por isso digo, acreditem, sigam e não se esqueçam que a humildade é o principio da sabedoria e do companheirismo também, pois ninguém gosta de pessoas que se acham melhores que as outras, pois no fundo, ninguém é melhor que ninguém e todos, todos nós, possuímos um lugar neste mundo e uma razão para estarmos aqui.
                Tudo que é preciso: seguir em frente e procurar nos encaixar em algum lugar, acreditar em nós mesmos e continuar fazendo o que gostamos, mesmo quando todas as portas parecerem fechadas, por exemplo, A Casa de Ossos tem dez anos, nestes dez anos foram criados mais dez livros que esperam o momento certo de seu lançamento.
                Felicidades a todos e não se esqueçam que a única coisa que cai do céu é chuva, meteoros, titica de pombo, bitucas de cigarros...