terça-feira, 20 de março de 2012

Resenha de A Casa de Ossos

Terror sem titubeios
IMPRESSOES:

A Casa de Ossos apresenta um terror objetivo, direto e sem titubeios. Em outras palavras, o suspense é dispensável. Desde o início a sensação de que você entrou em um mundo hostil se faz presente. As páginas amarelas do livro dão ainda maior impressão de clausura e ambientação sinistra. Sabe-se que uma vez lida a primeira página, não há volta para o leitor. Aquelas páginas te marcarão por um bom tempo.

A trama tem poucos momentos de tranquilidade e a leitura se torna tensa progressivamente, culminando com um final, que ao mesmo tempo que você quer largar o livro, não suportando a tensão, você quer continuar para saber o desfecho.
____________________________

FILOSOFIA:


A Casa de Ossos apresenta Kirian como protagonista. Um homem de negócios, com ótimas qualidades: ele é bom, gentil, educado e generoso. No entanto, ateu. E é aí o ponto em que que a trama gira em torno. O autor, Adriano Villa, entra em um questionamento antigo, muito debatido nos grandes concílios da igreja antiga: É justa a bondade sem a fé? Somos dignos de salvação se temos fé, mas não somos bons?

Uma outra questão igualmente importante permeia também a história. Baseado, provavelmente em Shakespeare, Adriano Villa nos pergunta: "Existem mais coisas entre o céu e a terra do que pode supor nossa vã filosofia?"
__________________________

PONTOS FORTES:

O terror sem censura e objetivo nos mostra rápido o que o livro vai ser até o fim da trama. É aquilo e aquilo mesmo. A presença do mal, o despeito pelas coisas sagradas, o ceticismo cego, a crueldade. Para quem gosta do gênero, a Casa de Ossos é um banquete.

PONTOS FRACOS:

A leitura se torna repetitiva em alguns pontos, deixando-a cansativa. Algumas conversas são confusas, principalmente quando se tem mais de 2 pessoas discutindo. 




Resenha de Luiz Paulo no Skoob
autor de maretenebrae

Nenhum comentário:

Postar um comentário